Saint Remy e Lê Baux

20170702_001

Acordamos com um lindo sol, mas com a companhia do Mistral, conhecido aqui como vento do demônio, um vento que sopra de tempos em tempos e que quando vem pode durar até 9 dias. Nos obrigou a levar um casaco, mas rendeu boas risadas ao longo do dia devido a chapéus voando pelos campos, além é claro de mais uma história e peculiaridade descoberta.

Nossa primeira parada foi Saint Remy, onde seguimos os passos de Van Gogh e visitamos o Hospital Psiquiátrico que ele ficou internado, a ala que ele ficava hoje é um pequeno museu e o restante segue como clínica onde hoje utilizam a arte terapia como tratamento. Vimos os belos quadros pintados por ele, e as paisagens que o inspiravam. Terminamos a visita em um lindo Campo de Lavandas e Girassóis.

Fizemos um breve passeio pelo Centro de Sain Remy com paradas nas belas lojinhas das ruelas de pedra, degustação de azeites (os daqui são tidos como uns dos melhores) e uma passagem pela casa de Nostradamus outro morador ilustre dessa cidadela.

Para o almoço fomos a Lê Baux, um vilarejo medieval incrustado no topo de um monte.

Nosso dia terminou nas Carrières de Lumières, uma antiga pedreira onde hoje há um espetáculo de som e luz realizado com adaptações de obras de grandes artistas. O atual tem Bosh e Brughel como base, é encantador e hipnotizante apreciar tão belas obras em grandes projeções com movimento.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *